Em Angra, duplicação da Rio-Santos é cobrada em audiência sobre concessão Rio-São Paulo

Em Angra, duplicação da Rio-Santos é cobrada em audiência sobre concessão Rio-São Paulo

5 de fevereiro de 2020
Lucas Santin, da Agência iNFRA

A quarta audiência pública sobre a concessão das rodovias Presidente Dutra (BR-116/SP) e da Rio-Santos (BR-101/RJ), em Angra dos Reis, ocorreu nesta segunda-feira (3).  Durante a sessão, um ponto destacado em diversas contribuições foi a necessidade de duplicação do trecho da BR-101 que passa por Mangaratiba (RJ).

Depois de encontros em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, mais audiências foram exigidas em outros locais considerados importantes. Além de Angra, foram marcados para esta semana encontros em Volta Redonda (RJ), São José dos Campos (SP) e Guarulhos (SP). A audiência, que durou cerca de cinco horas, teve mais de 60 inscritos.

A duplicação de toda a Rio-Santos é um dos pontos mais polêmicos da concessão, conforme mostrou reportagem especial da Agência iNFRA sobre o tema. O governo do Rio de Janeiro diz que é desnecessário duplicar a via além de 17 quilômetros iniciais da pista, em Mangaratiba. O governo federal sinalizou que iria rever a duplicação integral.

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, lembrou a importância das obras. “A gente tem uma oportunidade única de ter a duplicação deste gargalo que são os túneis em Mangaratiba e Itacuruçá”, disse.

Destacando o engarrafamento nesse trecho, o prefeito disse que há mais investimentos nas regiões de São Paulo que no Rio de Janeiro. Para Jordão, há pontos rodoviários no estado que são um “transtorno”. “Quando a gente vai a São Paulo, a gente fica embriagado com as estradas”, observou. Ele espera que agora haja uma maior atenção ao Rio de Janeiro.

Mangaratiba 
O prefeito de Mangaratiba, Alan Santos da Costa, elogiou a iniciativa de outros participantes da audiência na luta pela duplicação da rodovia Rio-Santos. De acordo com ele, é mesmo a hora de prefeitos e representantes dos municípios se unirem para o desenvolvimento da região.

Leia também:  iNFRADebate Live: Apoio de R$ 4 bi não bastará e governos precisam pensar em mix de ações para a mobilidade urbana

Apesar de reclamar da demora para que uma iniciativa fosse tomada, o prefeito observou: “A gente tem que ficar junto, inclusive dividirmos a conta. Se a conta for dividida, fica mais barata”.

Governo do RJ
O secretário de transportes do Rio de Janeiro, Delmo Pinho, referiu-se ao trecho entre Mangaratiba e Itacuruçá dizendo que precisa ser resolvido. “Precisamos acertar o trecho que engarrafa”, disse. Entretanto, o secretário não falou especificamente a respeito de duplicação.

Pinho destacou outros pontos, como a queda nas tarifas de pedágio e uma maior facilidade no licenciamento ambiental para obras importantes. Ele comentou também sobre baixar as taxas de retorno, para atrair mais investimentos para a concessão.

Deputado pede segurança
O deputado Estadual Gustavo Tutuca (MDB) disse que “a duplicação dos túneis em Mangaratiba, a duplicação da estrada vai desafogar o trânsito para toda a região”. Além da desobstrução de gargalos, ele frisou a necessidade de segurança na Rio-Santos. “Entre outras coisas, em Mangaratiba a estrada está caindo”, disse.

Gustavo disse que deslizamentos de terra na estrada são frequentes e, constantemente, demoram a ter uma solução. “Quando cai uma barreira, se não tiver a boa vontade da prefeitura de falar com o governo, a barreira fica jogada.” Para ele, a concessão da via vai melhorar isso.

Uma crítica feita pelo deputado é em relação à demora para o início das obras de duplicação da subida da Serra das Araras. Para ele, o prazo de dois anos estabelecido pelo governo é “inadmissível”.