Engie Brasil: aposta no gás como combustível da transição

da Agência iNFRA

Transmissão
A Engie Brasil ingressou em transmissão de energia elétrica em 2017, ao ser vitoriosa em um lote do leilão de dezembro da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). O projeto greenfield, de cerca de 1.000 km, no Paraná, foi batizado de Gralha Azul. Em 2019, adquiriu da Sterlite o projeto de transmissão chamado Novo Estado, também greenfield, com 1.800 km de extensão no Pará. A tese é de que o avanço de fontes intermitentes na matriz exigirá investimentos em ampliação da transmissão para que a energia possa ser escoada entre as regiões produtoras de energia e as consumidoras.

Gás natural
Sob o contexto do plano de desverticalização da Petrobras, que tem reduzido sua presença na cadeia de gás natural, concentrando-se na exploração e produção do insumo, a Engie, em parceria com o CDPQ (Caisse de Dépôt et Placement du Québec), fundo institucional global, adquiriu a TAG em uma das maiores transações da história, superior a R$ 35 bilhões. A empresa, que ingressou no Brasil há 25 anos com a aquisição da geradora federal Gerasul, prevê que a abertura do setor de gás natural está no seu início e pretende participar das oportunidades. A aquisição está no contexto da estratégia da Engie, de pretender liderar a transição energética no país e fazer do gás o energético dessa transição. A matriz elétrica brasileira tem passado por transformações, com eólicas e solares ganhando espaço. São fontes não despacháveis, sujeitas a condições climáticas. O gás natural ganha importância na matriz. Na crise hídrica de 2021, em alguns momentos, as termelétricas a gás natural responderam por um quarto da geração.

Iluminação pública
A empresa também tem estado presente em licitações de prefeituras de contratação de projetos de iluminação pública, considerada a espinha dorsal das cidades inteligentes, o que pode abrir novos negócios, como câmeras de segurança e serviços de internet. Em 2018, adquiriu a Sadenco, com atuação na operação e manutenção de sistemas de iluminação pública em Florianópolis (SC), Blumenau (SC), Joinville (SC), Porto Alegre (RS) e Santos (SP). Em 2019, venceu a licitação da cidade de Uberlândia, projeto que foi financiado, de forma inédita, no segmento, com emissão de debêntures incentivadas de infraestrutura.

Raio-X: Engie Brasil
A Engie é a maior geradora privada de energia elétrica do país. Com capacidade instalada própria de cerca de 10 GW, a empresa possui 97% de sua capacidade instalada proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de GEE (gases de efeito estufa), como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e a biomassa. Alinhada à estratégia de descarbonização, a geradora irá desfazer-se de sua última usina a carvão – Pampa Sul, em Candiota (RS), com 345 MW de potência.

Sair da versão mobile