Após leiloar três lotes de concessões rodoviárias, governo de MT estuda mais sete

Após leiloar três lotes de concessões rodoviárias, governo de MT estuda mais sete

29 de novembro de 2020

da Agência iNFRA

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, anunciou, durante o leilão de três concessões rodoviárias na última quinta-feira (26), na B3, em São Paulo, que estuda leiloar pelo menos outras sete concessões do setor ainda em seu governo.

Presente à cerimônia, o governador afirmou que o objetivo é transferir à iniciativa privada mais rodovias, mesmo com o plano de asfaltar 2,4 mil quilômetros de rodovias com recursos públicos em seu mandato.

“Já estamos estudando outros sete lotes, totalizando 1,9 mil quilômetros”, disse o governador do estado, que já tem quase 1 mil quilômetros de rodovias concessionadas.

Ele acredita que, em breve, o Mato Grosso já estará produzindo mais de 100 milhões de toneladas de produtos agrícolas por ano e, em 10 anos, mais de 150 milhões de toneladas.

O secretário estadual de infraestrutura, Marcelo de Oliveira, contou que a intenção das concessões atuais e futuras planejadas é criar corredores rodoviários com qualidade que liguem regiões de alta produção agrícola e que têm ferrovia em funcionamento ou planejada, como forma de dar opção logística aos produtores.

Um dos corredores fica entre a região de Água Boa, onde está prevista a chegada da Fico (Ferrovia de Integração do Centro-Oeste) e Rondonópolis, onde a Rumo opera a Malha Norte. O outro corredor rodoviário seria entre Rondonópolis e a região de Sinop, para onde está prevista a chegada da Ferrogrão.

As concessões que já estão previstas para os próximos anos são: MT-010-246 (Cuiabá, Rosário e Jangada), com extensão de 115,8 km; MT-240-326 (Água Boa-Cocalinho), com 152,3 km; MT-020 (Paranatinga-Canarana), com 302,5 km; MT-100 (Alto Araguaia a Ponta do Araguaia), com 227,7 km; MT-343 (Nortelândia-Cáceres), com 279 km; e MT-244-020-140 (Campo Verde-Planalto da Serra), com 119,9 km.

Leia também:  Governo qualifica no PPI para concessão os superterminais de combustíveis no Porto de Santos e rodovias em MA e PR

Três lotes leiloados
Três consórcios de empresas sagraram-se vencedores do leilão de quinta-feira, cujas concessões preveem investimentos de R$ 1,4 bilhão.

O Lote 1, com 138,4 quilômetros da MT-220, no trecho entre Tabaporã e Sinop, foi vencido pelo Consórcio Via Norte Sul, formado pelas construtoras Constral e Centro Vias, com desconto de 1% sobre a tarifa do pedágio, que ficará em R$ 8,25. Ele foi disputado com o Consórcio Via Brasil, liderado pela Conasa e com a participação das empresas CLD, Zetta, Engemat, M4 Investimentos, FBS Construção e Ibera

No Lote 2, com 233,2 quilômetros, das rodovias MT-246-343-358-480, nos trechos de Jangada a Itanorte, o Consórcio Via Brasil foi o único a apresentar proposta e venceu a disputa com valor de pedágio de R$ 7,90.

Já no Lote 3, com 140,6 quilômetros da MT-130, entre Primavera do Leste e Paranatinga, o Consórcio Primavera MT, liderado pela Vale do Rio Novo Engenharia e que conta com as construtoras Kamillos, Encalso, Terracon e Trail Infraestrutura, sagrou-se vencedor.

Nesse lote, não houve desconto no valor do teto de pedágio, de R$ 7,90, na disputa com o Via Brasil. Como houve empate no desconto do valor do pedágio, a decisão se deu pelo maior valor de outorga, que foi de R$ 1 milhão do vencedor e de R$ 50 mil do perdedor.

O Lote 3 é de um trecho rodoviário que não teve interessados numa tentativa de leilão em 2018. A diferença dessa vez foi que os investimentos foram mais espalhados ao longo do tempo, o que ampliou a viabilidade da concessão na análise de Camilo Fraga, diretor da Houer Concessões, responsável pela estruturação do projeto.