Agronegócio Pede Fim do Limite de Movimentação de Soja na Ponta da Madeira (MA)

Agronegócio Pede Fim do Limite de Movimentação de Soja na Ponta da Madeira (MA)

5 de março de 2018
Cláudia Borges, da Agência iNFRA

Uma moção solicitando a anulação da cláusula que estabelece limites no volume de exportação de soja pelo terminal marítimo de Ponta da Madeira (MA), pertencente à Vale, será encaminhada à ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários).

A decisão foi aprovada por representantes da cadeia do agronegócio que compõem a CTLOG (Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio), em reunião realizada na semana passada.

A limitação no volume de exportação foi estabelecida pela Resolução 1.914/2010 da ANTAQ. A medida foi adotada para viabilizar a construção e consolidação do Tegram (Terminal de Grãos do Maranhão), no porto de Itaqui (MA), explicou o consultor da área de Logística e Infraestrutura da CNA (Confederação Nacional da Agricultura) Luiz Antônio Fayet.

Segundo o consultor da CNA, a limitação passou a prejudicar o aumento das exportações pelo porto de Itaqui. Especialmente de cargas que circulam pelo corredor logístico que abrange o Sul do Maranhão, Sudoeste do Piauí, o eixo da BR-153 e o da Ferrovia Norte-Sul com Carajás.

“Nós temos hoje pelo menos de 2 a 3 milhões de toneladas de soja que estão impedidos de sair pelo porto. E, por outras rotas, o custo seria inviável. Se eu não tiver um custo logístico módico, os produtores terão prejuízos”, afirmou Fayet.

O presidente da CTLOG, Edeon Vaz Ferreira, afirmou que já foi dado tempo para o Tegram se consolidar. “A Câmara está preocupada com essa reserva de mercado para um determinado terminal. Por isso preparamos a moção solicitando a anulação da limitação ao terminal de Ponta da Madeira”, declarou. Fayet afirmou que as entidades esperam que tudo seja resolvido administrativamente pela ANTAQ.