Minas e Energia estuda alternativas para suprimento de Roraima sem Venezuela

Lucas Santin, da Agência iNFRA

O fornecimento de energia para Roraima sem a importação da Venezuela está entre as pautas do MME (Ministério de Minas e Energia). Na manhã de quarta-feira (30), houve uma reunião no ministério para tratar do Plano de Contingência para o Suprimento a Roraima.

Entre os presentes no encontro, estavam o secretário de Energia Elétrica do MME, Ricardo Cyrino; o governador de Roraima, Antônio Denarium; o diretor-presidente da Roraima Energia, Orsine Oliveira; e os diretores da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) Efrain Cruz e André Pepitone.

O diretor da ANEEL Efrain Cruz contou que os estudos envolvem a permanência do funcionamento das usinas térmicas de Roraima, que forneceram energia ao estado durante parte do mês de setembro do ano passado, e o abastecimento em sistema isolado.

“Aumenta um pouco a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), mas também já estão sendo revistas as alternativas de fontes renováveis”, afirmou o diretor. Há um leilão programado para 16 de maio, com contratos para entrada em operação a partir de janeiro de 2021.

Efrain comentou que ainda não há ordem para operação, e que, por enquanto, são apenas estudos. “O ministério está se precavendo, para que, caso haja o desligamento por parte da Venezuela, a gente tenha condições de manter o suprimento em Roraima sem prejudicar os consumidores”, explicou.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.