Governo tem baixo investimento em transporte em 2018, aponta relatório da CNT

Dimmi Amora, da Agência iNFRA

Os investimentos em infraestrutura do setor público e também de empresas e concessionárias deve seguir em sua tendência de baixa, já registrada nos últimos dois anos. É o que aponta o Boletim Transporte em Números, publicado nesta terça-feira (11) pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes).

De acordo com o relatório, o investimento público federal pela União e Estatais registrado até setembro está na casa dos R$ 8 bilhões, ainda abaixo dos R$ 11 bilhões de 2017, que já foi o menor desde 2006 em valores corrigidos. A maior parte dos valores foi destinado a rodovias, que ficou com R$ 6,2 bilhões.

Os números de desembolsos do BNDES para o setor não são melhores. De acordo com o levantamento, eles estão até setembro na faixa dos R$ 9 bilhões, muito próximos aos dos anos de 2016 e 2017 quando registraram o pior nível desde 2006, com R$ 12,5 bilhões e R$ 11 bilhões, respectivamente.

Os valores também estão concentrados em rodovias, com 82% do total desembolsado pelo banco. De acordo com o trabalho, as rodovias ficaram com em média 56% dos recursos na média dos anos anteriores. O relatório não detalha outros instrumentos de financiamento do setor, como as debêntures incentivadas, por exemplo.

Retomada da Construção
De acordo com o trabalho da confederação, a volta dos investimentos seria um importante fator para a retomada do PIB e, especialmente, da indústria da construção que registra “uma série de 18 trimestres consecutivos em queda na comparação interanual, chegando a um volume de produção 30,6% abaixo do seu pico histórico, que ocorreu no primeiro trimestre de 2014”.

O relatório, no entanto, aponta que haverá dificuldades para retomada dos investimentos. “Contudo, a recomposição da capacidade de arrecadação não será funcional ao investimento público se a despesa real do governo central (corrigida pelo IPCA) permanecer congelada, conforme determina a Emenda Constitucional (EC) 95”.

Leia também:  Antaq indica que vai reequilibrar contratos que pagarem IPTU

A CNT estima que o país precisa de R$ 1,7 trilhão de investimentos em infraestrutura de transportes nos próximos anos para conseguir acabar com gargalos nesses setores e dotar o país de um sistema logístico adequado. O relatório completo está neste link.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.