EPL está em etapa final para concluir mais três estudos de rodovias

Dimmi Amora, da Agência iNFRA

A EPL (Empresa de Planejamento e Logística) está finalizando os estudos de viabilidade para a concessão de três rodovias, a BR-381-262/MG-ES, a BR-153/TO-GO e a BR-163/MT-PA. A previsão é que essas análises estejam concluídas pela companhia nos próximos 60 dias e fiquem em poder da ANTT para iniciar a fase de audiências públicas.

O maior projeto é a concessão de mais de 600 quilômetros entre Minas Gerais e Espírito Santo, que está em fase final de elaboração. Os investimentos estimados para a duplicação total do trecho são da ordem de R$ 10 bilhões e os estudos apontam que o trecho é viável economicamente para concessão.

O governo tentou em 2012 conceder trecho semelhante, BR-262, mas a licitação não teve interessados.

As outras duas concessões têm características específicas. A BR-153 é uma licitação do mesmo grupo de rodovias licitadas entre 2012 e 2013, cuja concessão fracassou e foi retomada pelo governo. Já a 163 será uma concessão por tempo curto, 10 anos, até o funcionamento da Ferrogrão, que é paralela e, quando concluída, deverá captar a carga desse trecho da rodovia.

Após a licitação da RIS (Rodovia de Integração do Sul), realizada no fim do ano passado, o governo tenta fazer ainda neste ano pelo menos mais dois leilões, o da BR-364-365/GO-MG e o da BR-101/SC.

TCU decide BR-364-365
O trecho de rodovias do Centro-Oeste já teve a análise pela área técnica do TCU realizada, com sugestões de mudanças na modelagem, conforme adiantou a Agência iNFRA em sua edição 469, de 28 de janeiro.

O Ministério Público de Contas também fez análises sobre o tema e entregou seu relatório ao relator do processo, Bruno Dantas, que pautou o processo na próxima sessão do órgão. Caso o modelo já apresentado na RIS seja aprovado e não sofra alterações significativas, o edital deverá ser lançado até o fim de abril

Leia também:  iNFRADebate: A politização da engenharia e da regulação

No caso da BR-101, a EPL trabalha nos ajustes finais da modelagem após a audiência pública, realizada no ano passado, para enviar os estudos à ANTT, responsável pelo encaminhamento ao TCU. A expectativa do governo é licitar essa rodovia em 2019.

Outros dois grandes grupos de rodovias estão em análise para a concessão, mas por um prazo mais longo. Um grupo de 5,6 mil quilômetros de estradas de menor viabilidade, sobre o qual o BNDES e a EPL fizeram acordo para apresentar estudos, está neste momento em fase de contratação de consultores para elaboração dos estudos.

Já no caso das concessões de rodovias federais e estaduais no Paraná, licitadas na década de 1990 e cujos contratos vencem em 2021, o governo federal e do estado chegaram a um acordo para que elas sejam licitadas pelo federal, e a EPL e o governo analisam a contratação de estudos.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.