Empresas estão menos otimistas com investimentos em infraestrutura, diz sondagem da Abdib

Dimmi Amora, da Agência iNFRA

A sondagem Barômetro da Infraestrutura Brasileira, realizada pela Abidb (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base) e pela consultoria EY, aponta um menor otimismo dos agentes do setor privado em relação ao crescimento do país e aos investimentos no setor de infraestrutura no segundo semestre de 2019 em relação ao primeiro.

O levantamento é feito com 234 pesquisados e aponta que 48% avaliam um cenário favorável para a promoção dos investimentos no país nos próximos seis meses. No primeiro semestre, o levantamento encontrou 53% de respostas positivas. O número que cresceu foi de respostas mostrando um cenário desfavorável, de 18% para 24%. O cenário neutro ficou praticamente estável.

Esse número é um dos que mostram uma piora geral nas expectativas do setor em relação à primeira pesquisa desse tipo, que foi realizada no início deste ano. Os agentes do setor falam em piora nas expectativas de crescimento do país e também na de contratação de pessoal.

Energia perde a liderança
Houve uma mudança no levantamento em relação às áreas com maiores perspectivas de investimentos para o próximo ano. No primeiro semestre, a energia elétrica liderava o levantamento seguida de aeroportos e saneamento básico.

No levantamento realizado em setembro, o saneamento apareceu em primeiro, seguido da energia elétrica e depois o gás natural. No caso da energia elétrica, a queda na perspectiva de investimentos nos próximos seis meses foi de 10 pontos percentuais.

Nova concessões
Uma outra mudança de percepção foi em relação à expectativa por novas concessões e PPPs (parcerias público-privadas) para os próximos seis meses. A perspectiva de realização de investimentos pelo governo federal está 4 pontos percentuais menor que no início do ano. Já quanto a estados, essa expectativa subiu cinco pontos.

Leia também:  iNFRADebate: Aviação para os próximos 20 anos, por Dario Rais Lopes

No entanto, as avaliações sobre o esforço de equipes de cada tipo de ente público e aproveitamento do potencial desse tipo de parceria melhorou em relação ao governo federal, mas está pior em relação a estados e municípios.

O levantamento mostrou pouca mudança em relação à percepção de risco jurídico e de qualidade da atuação dos órgãos de controle, ambos mal avaliados no levantamento.

Sobre a avaliação do atual governo na crise ambiental recente, a grande maioria respondeu que o problema é grave e que o governo demorou e deu resposta inadequada. O levantamento completo pode ser acessado neste link.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.