Em Angra, duplicação da Rio-Santos é cobrada em audiência sobre concessão Rio-São Paulo

Lucas Santin, da Agência iNFRA

A quarta audiência pública sobre a concessão das rodovias Presidente Dutra (BR-116/SP) e da Rio-Santos (BR-101/RJ), em Angra dos Reis, ocorreu nesta segunda-feira (3).  Durante a sessão, um ponto destacado em diversas contribuições foi a necessidade de duplicação do trecho da BR-101 que passa por Mangaratiba (RJ).

Depois de encontros em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, mais audiências foram exigidas em outros locais considerados importantes. Além de Angra, foram marcados para esta semana encontros em Volta Redonda (RJ), São José dos Campos (SP) e Guarulhos (SP). A audiência, que durou cerca de cinco horas, teve mais de 60 inscritos.

A duplicação de toda a Rio-Santos é um dos pontos mais polêmicos da concessão, conforme mostrou reportagem especial da Agência iNFRA sobre o tema. O governo do Rio de Janeiro diz que é desnecessário duplicar a via além de 17 quilômetros iniciais da pista, em Mangaratiba. O governo federal sinalizou que iria rever a duplicação integral.

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, lembrou a importância das obras. “A gente tem uma oportunidade única de ter a duplicação deste gargalo que são os túneis em Mangaratiba e Itacuruçá”, disse.

Destacando o engarrafamento nesse trecho, o prefeito disse que há mais investimentos nas regiões de São Paulo que no Rio de Janeiro. Para Jordão, há pontos rodoviários no estado que são um “transtorno”. “Quando a gente vai a São Paulo, a gente fica embriagado com as estradas”, observou. Ele espera que agora haja uma maior atenção ao Rio de Janeiro.

Mangaratiba 
O prefeito de Mangaratiba, Alan Santos da Costa, elogiou a iniciativa de outros participantes da audiência na luta pela duplicação da rodovia Rio-Santos. De acordo com ele, é mesmo a hora de prefeitos e representantes dos municípios se unirem para o desenvolvimento da região.

Leia também:  Ministro diz que não vai mudar modelo de concessão da Dutra com free flow e BR-101

Apesar de reclamar da demora para que uma iniciativa fosse tomada, o prefeito observou: “A gente tem que ficar junto, inclusive dividirmos a conta. Se a conta for dividida, fica mais barata”.

Governo do RJ
O secretário de transportes do Rio de Janeiro, Delmo Pinho, referiu-se ao trecho entre Mangaratiba e Itacuruçá dizendo que precisa ser resolvido. “Precisamos acertar o trecho que engarrafa”, disse. Entretanto, o secretário não falou especificamente a respeito de duplicação.

Pinho destacou outros pontos, como a queda nas tarifas de pedágio e uma maior facilidade no licenciamento ambiental para obras importantes. Ele comentou também sobre baixar as taxas de retorno, para atrair mais investimentos para a concessão.

Deputado pede segurança
O deputado Estadual Gustavo Tutuca (MDB) disse que “a duplicação dos túneis em Mangaratiba, a duplicação da estrada vai desafogar o trânsito para toda a região”. Além da desobstrução de gargalos, ele frisou a necessidade de segurança na Rio-Santos. “Entre outras coisas, em Mangaratiba a estrada está caindo”, disse.

Gustavo disse que deslizamentos de terra na estrada são frequentes e, constantemente, demoram a ter uma solução. “Quando cai uma barreira, se não tiver a boa vontade da prefeitura de falar com o governo, a barreira fica jogada.” Para ele, a concessão da via vai melhorar isso.

Uma crítica feita pelo deputado é em relação à demora para o início das obras de duplicação da subida da Serra das Araras. Para ele, o prazo de dois anos estabelecido pelo governo é “inadmissível”.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.