Conheça os principais projetos legislativos do setor de infraestrutura que tramitam neste ano

Tales Silveira, da Agência iNFRA

O Congresso Nacional estará à frente de temas decisivos para a infraestrutura do país em 2020. Além de PLs (projetos de lei) e PECs (propostas de emenda à Constituição), indicações de diretoria de agências também deverão ser analisadas pelas Casas Legislativas.

Dentre os temas, estão em destaque o Marco Legal das Concessões e PPPs (parcerias público-privadas), a PEC dos Fundos, o Novo Marco do Setor Ferroviário e o Licenciamento Ambiental.

Agência iNFRA fez um levantamento dos principais projetos do setor, em um ano que exigirá articulações bem definidas e céleres. Isso porque há eleições municipais e as atividades do Congresso têm seu ritmo reduzido. Confira um resumo dos principais projetos:

PECs e Projetos do Governo
PEC 187/2019 – PEC dos Fundos: 
A primeira PEC que deve ser analisada, de acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), em fevereiro, é a que propõe a extinção de todos os fundos infraconstitucionais para desvincular o dinheiro hoje destinado a finalidades específicas. Conhecida como PEC da Revisão dos Fundos, a proposta, segundo o governo, pode liberar cerca de R$ 220 bilhões para ajudar a pagar a dívida pública.

PEC 186/19 – PEC Emergencial: Logo após, a PEC Emergencial deverá entrar em pauta. A proposta prevê revisão de corte de até 25% da jornada e do salário de servidores públicos que recebem acima de três salários mínimos. O texto também veda a realização de concursos públicos e a progressão na carreira no período de ajuste. A realização de duas audiências públicas sobre o tema foi aprovada.

PEC 188/2019 – PEC do Pacto Federativo: A última proposta, PEC do Pacto Federativo, iniciará sua tramitação em abril. A proposta tem como objetivo unificar os gastos mínimos obrigatórios com saúde e educação e dar uma maior autonomia aos estados para alocação de recursos públicos. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a PEC poderá entregar aos estados e municípios até R$ 400 bilhões em 15 anos. Todas as três PECs aguardam discussão e votação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

PLP 149/2019 – Plano Mansueto: O Plano Mansueto, que carrega o nome do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, é voltado para atender fiscalmente os 13 estados nota C em uma escala do Tesouro Nacional que vai de A a D no cumprimento de despesas. A ideia é que, em troca, os estados se comprometam a implementar medidas de ajuste fiscal como privatizações, reforma da Previdência e comprometimento de contenção de despesas obrigatórias. O PL aguarda a sua instalação em comissão especial na Câmara.

PL  3.267/2019 – Novo Código de Trânsito: A proposta de alteração do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) havia sido entregue à Câmara pessoalmente pelo presidente Jair Bolsonaro em junho deste ano. Na época, Bolsonaro afirmou que a nova proposta se inspirou em ideias do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e em projetos já existentes no Congresso. O PL ainda está em tramitação no Congresso Nacional e já recebeu parecer favorável do relator, o deputado Juscelino Filho (DEM-MA), à aprovação do PL, mas com ressalvas propostas em um substitutivo.

PL 1.646/2019 – Devedor Contumaz: Em março de 2019, o Poder Executivo apresentou à Câmara dos Deputados o PL destinado ao fortalecimento da cobrança da dívida ativa e ao combate ao devedor contumaz. A ideia é considerar devedoras contumazes pessoas físicas ou jurídicas com débitos acima de R$ 15 milhões em situação irregular por mais de um ano e que praticam fraudes fiscais para burlar o pagamento de obrigações. Uma comissão especial na Câmara já foi instalada e está na fase de audiências públicas e seminários nos estados.

Leia também:  #VaiTerLeilão: PPP de iluminação pública de Angra dos Reis será primeiro leilão realizado na crise

Projetos do Parlamento 
PEC 45/2019 e PEC 110/2019 – Reforma Tributária: Após a aprovação da reforma da Previdência, em 2019, a agenda de reformas segue com a reforma tributária como tema prioritário para 2020. O tema, complexo, é discutido em várias propostas que já estão em análise no Congresso. A construção de um texto de consenso que reúna todas essas propostas caberá a uma comissão mista, formada por deputados e senadores, cuja instalação é esperada já para fevereiro. O Ministério da Economia diz que também vai encaminhar uma proposta.

PEC 133/2019 – Previdência Paralela: A PEC paralela tenta promover uma segunda reforma da Previdência, complementando a promulgada recentemente pelo Congresso Nacional e transformada na Emenda Constitucional 103. Entre as inovações da nova proposta está a possibilidade de adesão dos estados, Distrito Federal e municípios às mesmas regras de aposentadoria aprovadas para os servidores públicos federais. Aprovada no Senado, a PEC será encaminhada à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara, para análise da admissibilidade. A proposta será submetida depois a uma comissão especial, onde precisará ser aprovada por maioria simples, e depois ao plenário.

PL 4.162/19 – Marco do Saneamento: A análise deverá acontecer no início do ano. O PL atualiza o marco legal do saneamento básico, aprimora as condições estruturais do saneamento básico no país, veda a prestação por contrato de programa dos serviços públicos para estender seu âmbito de aplicação às microrregiões. A Câmara fez uma manobra para garantir a última palavra na tramitação do PL. A antiga matéria – PL 3.261/19 tem como origem o Senado, o que tornaria a Câmara a Casa revisora. Deverá ser analisada pelos senadores ainda em fevereiro.

PL 7.063/2017 – Nova lei das PPPs: O PL, de relatoria do deputado Arnaldo Jardim (Cidadania/SP), reformula o Marco Legal das Concessões e PPPs, criando o conceito de “Outorga Carimbada”, liberando o próprio edital de concessão a estipular se os valores arrecadados com a outorga serão direcionados a investimentos em infraestrutura e aplicados diretamente pela iniciativa privada. A votação na Câmara está prevista para o final de fevereiro e começo de março.

PLS 261/2018 – Novo marco legal do setor ferroviário: O PLS (Projeto de Lei do Senado) autoriza a autorregulação ferroviária permitindo à iniciativa privada a construção e operação de suas ferrovias por autorização federal sem a necessidade de seguir o rito de licitação pública para conseguir concessões no setor. Em outubro do ano passado, a CI (Comissão de Serviços de Infraestrutura) adiou a votação do projeto.

PLS 168/2018 e PL 3.729/2004 – PLs do Licenciamento Ambiental: A terceira versão da proposta que tramita na Câmara há 15 anos já tinha alcançado o consenso entre os deputados, mas a quarta versão, feita pelo coordenador do grupo, deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), foi criticada por supostamente afrouxar as regras para o licenciamento de obras. Desde o fim do ano, Kataguiri vem afirmando que só iria por o projeto em pauta de votação do plenário após a votação do PL do Saneamento. A tendência é que ele seja apreciado no começo do ano.

Leia também:  Reequilíbrio de contrato e debêntures de infraestrutura ganham projetos de lei na Câmara

PL 08/2013 – Free Flow: O PL, que objetiva conceder isenção de pagamento de pedágio aos que possuam residência permanente ou exerçam atividades profissionais permanentes no município em que se localiza a praça de cobrança de pedágio, foi modificado para obrigar a implantação de sistema de livre passagem com identificação eletrônica em pedágios nas rodovias brasileiras. A proposta tramita em forma de substitutivo e se encontra na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos).

PL 2.149/2015 – Regras da Praticagem: O PL estava sendo relatado pelo presidente da CVT (Comissão de Viação e Transportes) da Câmara, deputado Eli Corrêa Filho (DEM-SP), e pretendia mudar a legislação relativa ao tráfego aquaviário, especialmente em relação à praticagem. Houve um pedido de vista do deputado Hugo Leal (PSD-RJ) e a votação acabou não ocorrendo. O governo é contra o projeto.

PLP 459/2017 – Securitização de dívidas: O PLP (Projeto de Lei Complementar) 459/17 tem como objetivo regulamentar a securitização da dívida ativa da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Essa securitização é uma espécie de venda com deságio dos direitos de receber uma dívida, tributária ou não. Segue sem acordo. O projeto aguarda votação no plenário da Câmara.

PL 2.963/2019 – Venda de imóveis rurais para estrangeiros
O projeto facilita a aquisição de terras por pessoas físicas e jurídicas estrangeiras e objetiva estimular a economia no campo. Além da venda, a proposta também regulamenta o arrendamento de propriedades rurais brasileiras por pessoas físicas e jurídicas de outros países. O PL tramita na CCJ do Senado e espera a emissão de parecer do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Indicações para as agências
Outra pauta importante serão as indicações de diretores das agências reguladoras. Na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), dois nomes deverão ser apresentados para substituir o diretor-geral, Mario Rodrigues, e a diretora Elisabeth Braga. Os dois terminam seus mandatos em fevereiro de 2020. Outro que termina o seu mandato em fevereiro é o diretor-geral da ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), Mário Povia.

Um mês depois, mais dois diretores da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) encerram seus mandatos. São eles o diretor-geral da agência, Ricardo Botelho, e o diretor Ricardo Bezerra.

No dia 9 de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro nomeou como diretores substitutos da ANAC Ricardo Bisinotto Catanant, Tiago Sousa Pereira e Rafael José Botelho Faria, respectivamente como primeiro, segundo e terceiro substitutos. Catanant e Pereira já assumiram o mandato provisório porque a agência estava sem dois diretores.

Em outubro, Bolsonaro indicou ao Congresso os substitutos para as duas vagas. São eles Ricardo Catanant e o secretário de transportes do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), Thiago Costa Caldeira. As duas indicações, contudo, estão paradas no Senado.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.