ANTT aprova metodologia para cálculo da tabela de frete rodoviário

Gabriel Tabatcheik, da Agência iNFRA

A diretoria da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) aprovou a minuta de resolução sobre a metodologia de cálculo para estabelecer os pisos mínimos do transporte rodoviário de cargas.

A nova regra será utilizada para o cálculo dos valores a serem pagos por esses serviços. As tabelas vigentes foram feitas após a pressão da greve dos caminhoneiros de maio de 2018 sem estudos adequados. A decisão foi tomada na reunião da diretoria na última terça-feira (14), em Brasília. Segundo o diretor relator Davi Barreto, a norma terá sua vigência iniciada em 20 de janeiro.

A resolução promete encerrar uma verdadeira novela em torno do tema. Uma versão da metodologia de cálculos já havia sido aprovada em julho do ano passado. A Audiência Pública 2/2019 deu origem à Resolução 5.849/2019. No entanto, ela vigorou por poucos dias, sendo revogada pela própria agência devido à insatisfação de caminhoneiros.

Após negociações, essa mesma resolução voltou a vigorar em 13 de novembro de 2019. Ato contínuo, a ANTT chamou uma nova audiência pública, que resultou na resolução aprovada nesta terça-feira. O relator Davi Barreto reafirmou a importância da medida.

“Passa longe de ser trivial estabelecer uma política dessa natureza em um país com dimensões continentais e com ampla diversidade de produtos transportados pelo modo rodoviário. É parte dessa compreensão o entendimento de que a ANTT deve trabalhar com valores médios e um número determinado de categorias, possibilitando a pesquisa, a coleta de dados e informações que subsidiam o estabelecimento de metodologia de cálculo dos pisos mínimos”, disse o diretor.

“É natural, dentro desse processo, que algumas das definições continuem sendo objeto de discussões ao longo dos próximos ciclos regulatórios. Esse é o processo. Cada ciclo é um aperfeiçoamento dessa metodologia. De toda forma, as discussões ocorridas no escopo desta audiência pública parecem indicar pra uma evolução dos parâmetros técnicos utilizados, o que acaba por consolidar a metodologia”, destacou.

Leia também:  Em audiência, diretor da ANTT aponta falta de pessoal para operar concessões previstas

A definição da metodologia de cálculos está prevista na Lei 13.703/2018 e integra a Política Nacional dos Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas. A norma deve ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Teto Tarifário
A ANTT atualizou quatro resoluções homologatórias de revisões tarifárias do Grupo Rumo. Elas levam os números 3.888/2012, 3.889/2012, 3.890/2012 e 3.891/2012. A agência estava impedida, por decisão judicial, de realizar mudanças nas tarifas praticadas.

Em agosto do ano passado, o entendimento do judiciário mudou e a ANTT precisou então refazer os cálculos de 2012 até o presente momento. As alterações pertinentes serão publicadas no Diário Oficial.

A redução do teto tarifário foi uma das condições aceitas pela Rumo para a renovação antecipada da concessão da Malha Paulista. Quando o teto foi modificado, em 2012, todas as concessionárias entraram na Justiça para barrar a medida tomada pela ANTT.  Agora, todas estão aceitando a redução dos preços máximos que podem ser cobrados no transporte de mercadorias para conseguirem a renovação.


Informações deste texto foram publicadas antes pelo Serviço de Notícias da Agência iNFRA. Esse produto diário é exclusivo para assinantes.

Para ficar bem informado, sabendo antes as principais notícias do mercado de infraestrutura, peça para experimentar os serviços exclusivos para assinantes da Agência iNFRA, enviando uma mensagem para nossa equipe.